O problema dos cachorros em Koh Lanta, Tailândia

Numa bela manhã de sol, tomava meu café-da-manhã numa das barracas da rua principal de Koh Lanta quando vejo do outro lado da rua uma mulher espancando seu cachorro porque ele não parava quieto enquanto ela tentava dar banho nele. O cachorro chorava de dor, gritava e tentava fugir, mas ela ia atrás e continuava batendo claramente com força e sem dó.

Minha reação foi levantar da cadeira e gritar um “OH MY GOD” desesperado na esperança de que alguém percebesse o que ela estava fazendo e interferisse. Mas todos só olharam pra minha cara do tipo “não estou entendendo o seu escândalo” e só consegui comover um casal de ingleses que passava por ali e também observou àquilo admirado.

Não tinha o que eu pudesse fazer. Eu viajava sozinha num lugar com uma cultura completamente desconhecida da minha e meu senso de segurança não me deixava fazer mais nada além de gritar e me surpreender.

No mesmo dia comecei a investigar a relação dos habitantes de Koh Lanta com os cachorros. Eu já sabia que era uma ilha com muitos muçulmanos, que consideram os cachorros um animal sujo, mas ainda não tinha entendido que aquilo significava muitas vezes mal tratar os cachorros da ilha.

Fiquei confusa com essa história. É difícil fazer um julgamento. Eu, por exemplo, odeio ratos e quero que todos eles morram, mas na Índia é um animal sagrado (uma amiga contou que no período que morou lá, ela tinha que conviver com um rato no quarto dela porque não podia matar). Portanto ainda estou dividida entre o emocional de adorar cachorros e o racional das diferenças culturais e assim vou ficar.

Foi aí que descobri o Lanta Animal Welfare, uma ONG livre de julgamentos que resgata cachorros e gatos que sofrem de maus tratos lá em Koh Lanta.

Parece que tudo começou com um britânica que estava viajando por Koh Lanta, percebeu esse problema na ilha e resolveu montar o abrigo.tailandia-amanda-viaja

A linha de pensamento é que já que os cachorros incomodam os moradores, eles querem tentar fazer as coisas da maneira certa, esterilizando os animais como deve ser feito e não através de maus tratos como afogamento, óleo quente, envenenamento, etc.

E o que é legal é que os cachorros e gatos podem ser facilmente adotados por europeus, americanos e australianos. O abrigo cuida de tudo e essas pessoas podem sair da Tailândia com um novo animal de estimação. Eu perguntei se para o Brasil era fácil também adotar, mas eles não souberam informar.

Se você for a Koh Lanta e gosta de animais, vale a pena um passeio pelo Lanta Animal Welfare. É gratuito e você ainda pode levar os cachorros para passear! Eles também tem espaço para trabalho voluntário caso você queira passar um tempo lá ajudando.

tailandia-amanda-viaja

tailandia-amanda-viaja

Imagem de capa: site do Lanta Animal Welfare

 

RESOLVA SUA VIAGEM AQUI (com descontos!)

SEGURO VIAGEM
todos com desconto
CHIP DE CELULAR
internet ilimitada
HOTÉIS
hostels, pousadas
 PASSAGENS AÉREAS
em até 10x
ALUGUEL DE CARRO
sem IOF, em até 12x
AIRBNB
ganhe R$130

One Comment

  1. Vanessa Moreira da Silva

    Choca demais.
    Imagino viver lá, justamente para ajudar no abrigo (por um tempo determinado que seja) e presenciar destratos frequentes.
    Me lembrei de uma provável muçulmana que cursava faculdade sendo acompanhada por um pônei treinado para suas necessidades especiais (acho que era cegueira) justamente por conta do que você citou amanda… eles considerarem cães imundos.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*