Minha primeira vez em Nova York: Natal e Réveillon

Eu já morava nos EUA e as passagens para o Brasil estavam carésimas naquele fim de ano. Na falta de opção eu decidi ir pra Nova York. Sei que você deve estar pensando “puxa, mas Nova York é em caso de falta de opção?”. Nesse caso era porque não poderia vir para o Brasil e não tinha companhia pra ir pra nenhum lugar. Portanto, queria um lugar onde conhecesse alguém. Lá eu tinha um amigo.

Lembro que nos dias que antecederam meu embarque caíram bolotas de neve gigantescas e muitos voos foram cancelados. O meu não.

Mas a verdade é que nem parecia que eu ia pra lá… Estava tão desanimada que quando liguei pra minha mãe ainda do aeroporto para desejar um Feliz Natal ela disse: “Nossa, nem parece que você vai pra NY!”. Não parecia mesmo. Nevava muito, eu ia sozinha e olha a situação: ficaria na casa do meu amigo que morava em Midtown. Mas como ele estaria fora de NY até 29/12 e eu chegaria no dia 25/12, teria que arranjar um outro lugar pra ficar até ele chegar. E consegui. Era o apartamento da amiga de uma amiga que morava com um cara que eu também não conhecia. Todos brasileiros.viajar-nova-york-7

Pois no dia de Natal, já noite, nevando, desço de malinha próximo a Times Square e vou até a 47th. Naquele ânimo…

Mas chegando na casa da amiga da minha amiga havia uma galera! Era fim de ano e muitos amigos brasileiros estavam por Nova York também. Aí tudo mudou. Me animei, fiquei amiga de todos e começou a festa. Eu morava nos EUA havia anos e encontrar brasileiros vindos do Brasil era delicioso!

Dias depois, encontrei meu amigo e também pude curtir a cidade do jeito que eu gosto: caminhando sem compromisso, na companhia de quem conhece a cidade e não me importando muito em visitar os pontos turísticos. Como eu morava nos EUA, sabia que poderia voltar pra Nova York quando quisesse. E assim foi… perdi as contas de quantas vezes já estive na cidade.

A minha dica de ouro é: compre um mapinha numa dessas banquinhas da cidade (porque com celular não tem graça!) e saia por aí sem medo. É super fácil andar na cidade. E eu gosto do mapinha porque você tem uma visão geral, se localiza melhor e aprende onde fica tudo.

Minhas impressões sobre Natal e Réveillon na cidade

Nova York está sempre lotada de muita gente e muito turista. Tem tanto gringo morando e turistando que faz juz ao título de capital do mundo.

E no fim do ano fica mais lotada ainda! Entre o Thanksgiving (fim de novembro) e Ano Novo, além dos turistas regulares, os que moram no estado de Nova York e ao redor, visitam a cidade para ver a decoração de Natal. É engraçado porque você pode andar na Times Square às 3 da manhã e está lotada!

Tem que ter paciência. O sonho de passar o fim de ano em Nova York pode ser bem tumultuado. Portanto, esteja preparado! Mas dá pra se divertir bastante!

viajar-nova-york-13

O que eu fiz

Passei o dia todo no MoMa vendo uma exposição do Tim Burton. Estava lotado! Mas a exposição estava demais e museu é outra coisa que eu adoro. Saí de lá com um pôster do Lichtenstein que tenho até hoje pendurado na parede de casa.

Visitei a Public Library. Eu amo bibliotecas e livrarias, é como se fossem uma igreja pra mim. E não poderia deixar de visitar esta que é a terceira maior do mundo.

Foto: BronxBanterblog
Foto: BronxBanterblog

Voltinha no Central Park (claro) enquanto via as pessoas se matando na pista de patinação. Não tem jeito, mesmo lotado todo mundo quer patinar naquela pista clássica. Eu não tenho muita paciência para filas e muvucas então passei essa.

Fui parar numa balada, a Pink Elephant. Que definitivamente não tem nada a ver comigo. Mas sabe quando amigos de amigos estão lá e você vai pra encontrar todo mundo, gasta uma fortuna, essas coisas… De qualquer forma, foi divertido.

Além de brunchs diários, fui jantar no Pastis. Lembro que achei caro. Na época a conta dava em torno de US$50. Hoje, morando em São Paulo, vejo que é um preço bem similar aos daqui. Mas naquele época eu não sabia que o Pastis era um restaurante francês badalado. Tinha fila pra entrar e mais uma vez fui na onda dos meus amigos de lá. Acho que se fosse hoje, não iria. Mas como disse, é bem conhecido.

Um tempo no Highline Park. O parque tinha acabado de ser aberto então estava bem badalado. Todos queriam conhecer o parque suspenso construído numa antiga linha de trem. É bem bacana e moderno.

Foto: Cup of Jo blog
Foto: Cup of Jo blog

Passada na loja Mark by Mark Jacobs (403 Bleecker St). Mas como sempre fui pobrinha, comprei apenas um espelho de US$ 5. Mas a loja é bacana e parece uma loja comum, sem frescurite.

Em frente à loja tem a Magnolia Bakery (401 Bleecker St), que é famosérrima e se você tiver paciência pra filinha na porta, vale a pena entrar e sentir o cheiro de doce. Se te interessa, ela já apareceu no Sex and the City (sem fila).

Foto: weddingmapper
Foto: weddingmapper

Programa de índio no Empire State Building. Meu maior arrependimento da viagem. Juro, fiquei umas 3 horas na fila pra conseguir subir no alto do prédio. Depois dessa, prometi a mim mesma que nunca mais pegaria fila pra subir em lugar nenhum. Mas se você tiver paciência… vai fundo.

Passada na Macy´s que fica aberta 24h. Também caí de gaiato nessa. Uma amiga queria comprar um batom e passei lá com ela. Mas valeu a pena pra ver o quanto essas lojas ficam devastadas no fim do ano. Tudo fica uma bagunça e ainda com pessoas se atropelando para fazer compras. Glamour zero. Fiquei pouco tempo, ufa!

Conhecer Grand Central. Gostei… a estação é tão tradicional e dá uma sensação de que você está no cenário de um filme.

Foto: Compoutkid.com
Foto: Compoutkid.com

Passeio por downtown num dia vazio. Acho que era domingo ou primeiro de janeiro, não sei… Mas não tinha ninguém nas ruas. Foi lá que consegui tirar minha foto de Nova York preferida (dizem que dá sorte pegar no saco do búfalo!).

new-york-12

Jazz no Fat Cat (75 Christopher St). Um lugar bem mais minha cara, com jazz rolando, não é caro e o ambiente é descontraído com mesas de sinuca, ping pong, etc.

Foto: Zingarate
Foto: Zingarate

Sex shop e lojas de discos no Brooklyn. Não lembro o nome, mas o Brooklyn tem dessas coisas. Só de caminhar pelas ruas já é uma atração. Vi até um salão de cabeleireiro só para cortes heavy metal.

viajar-nova-york-8

Réveillon em algum pub no West Village. Meu amigo morava na 8th Av com 47th, ou seja, na rua paralela a Times Square que fechava para a grande festa de réveillon. Para os locais, claro, passar a virada na avenida é meio programa de índio (pelos turistas e pelo frio que você passa). Então fomos passar a virada num pub no West Village do qual não me lembro o nome.

Réveillon num pub qualquer
Réveillon num pub qualquer

Coisas que eu queria ter feito mas não fiz…

Show na Broadway Arte, teatro, música, Broadway. Enough said.

Met Museum Só por ser museu eu já quero ir. Assim mesmo, sem muita razão. Mas ele é lindo. Olha só!

Foto: articlesweb.org
Foto: articlesweb.org

History Museum Porque é o History Museum!

Foto: nytix.com
Foto: nytix.com

 Chelsea Market Esse eu não queria muuuuito conhecer. Mas como dizem que é muito legal, vale a passadinha.

Foto: Static flickr
Foto: Static flickr

 Top of the Rock ao pôr do sol. Esse eu não quero fazer porque conforme prometi não pego mais fila pra subir em lugar nenhum, principalmente pelo meu medo de altura. Mas todos dizem que é linda a vista do alto e eu não poderia deixar de recomendar a você. Garanta que você vá ao pôr do sol pra ser mais bonito ainda.

Foto: Nicolar Kipourax
Foto: Nicolar Kipourax

 

RESOLVA SUA VIAGEM AQUI (com descontos!)

SEGURO VIAGEM
todos com desconto
CHIP DE CELULAR
internet ilimitada
HOTÉIS
hostels, pousadas
 PASSAGENS AÉREAS
em até 10x
ALUGUEL DE CARRO
sem IOF, em até 12x
AIRBNB
ganhe R$130

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*