O que fazer na Ilha de Marajó no Pará

O que fazer na Ilha de Marajó no Pará

Tá se sentindo perdido no planejamento para a Ilha de Marajó no Pará? Preparei um guia contando tudo o que eu aprendi durante a minha viagem pra lá.

Qual é a melhor época para viajar para a Ilha de Marajó

Isso vai depender um pouco de você. Te explico porque.

Eu fui em janeiro e achei maravilhoso porque estava tudo vazio, com pouquíssimos turistas. Porém, é uma época mais suscetível às chuvas (que eles consideram como inverno deles). Estava calorão, choveu um pouco, mas não estragou a minha viagem. Não sei se foi sorte ou se é assim mesmo: liga a torneira, chove por 10 minutos e depois para.

Se você for de julho a novembro, vai pegar mais sol e calor sem chuvas. Porém, é alta temporada e ouvi dizer por lá que é uma época onde tudo fica lotado.

A escolha é sua.

ilha de marajo amanda viaja

Como ir para a Ilha de Marajó

Você não consegue chegar lá voando. Primeiro precisa pegar um voo até Belém (o meu foi um direto da Latam de SP para Belém).

Aí vem a parte mais difícil: pegar um navio fluvial ou lancha expressa para o Marajó. O problema é que é muito difícil achar informações corretas a respeito dos horários. Nem o meu hotel sabia dar essa informação. E, vai por mim, qualquer horário que você ver em blogs por aí pode estar errado (eu não encontrei nenhum correto). Por isso eu te aconselho fortemente antes da viagem entrar em contato com o Terminal Hidroviário de Belém e perguntar a eles.

Mas vamos às informações apuradas.

Passagem para Soure Marajó

  • Para ir de Belém a Marajó você deve pegar um navio fluvial ou uma lancha express para Soure ou Salvaterra (depende de onde você irá se hospedar).
  • Em Belém ambos partem do Terminal Hidroviário.
  • A lancha express demora em torno de 1h40 chegando em Salvaterra e 2h30 chegando em Soure. O navio fluvial demora uma hora a mais. A lancha express além de mais rápida é bem mais confortável, com ar condicionado, etc. O navio fluvial carrega o pessoal mais local.
  • Durante a semana, em janeiro de 2018, os horários eram assim:

    Lancha Expressa:  07:00 hs / 14:00 hs (2 horas de viagem, no valor de R$ 35.00)

    Navio:                     06:30 hs / 14:30 hs (3 horas de viagem, no valor de R$ 28.00)

  • Aos sábados e domingos os horários mudam e existe só um horário de ida e um de volta. Novamente recomendo checar com o Terminal hidroviário.
  • Importante saber: o navio fluvial, não tem somente uma hora a mais. Se você for se hospedar em Soure como eu, você chegará de navio até Salvaterra, terá que pegar uma van no porto de lá que leva você para Soure, a van irá pegar uma balsa para atravessar o rio e te deixa na porta da pousada. As vans são segura e existem aos montes no porto de Salvaterra. O problema é que essa viagem toda demorou pra mim 6 horas. Ou seja, não é só uma hora a mais de navio, tem todo um processo pra chegar até a pousada.

ilha de marajó amanda viaja

Como se locomover na Ilha de Marajó

A melhor maneira é de táxi ou mototáxi. Para (quase) qualquer lugar que você vá pela redondeza vai pagar meio carinho, em torno de R$20 (valor em janeiro de 2018). Sai caro porque a gasolina por lá é cara (estava R$4,74 quando fui).

Dá para você alugar bicicleta também (informe-se na sua pousada onde você pode fazer isso). Mas a bike só vai te levar para o centrinho de Soure. A maior parte das “atrações” ficam distantes.

Onde se hospedar na Ilha de Marajó

Eu preferi me hospedar em Soure porque lá ficava perto das coisas que eu queria conhecer. Dizem que Salvaterra tem mais hotéis e praias para ir. Mas a estrutura da cidade me pareceu igual a de Soure.

Em Soure eu me hospedei na pousada O Canto do Francês. Uma pousada simples, mas super tranquila, limpa e bem localizada (e eles servem queijo de búfala toda manhã, você não quer perder isso).

VEJA AQUI MAIS OPÇÕES DE HOSPEDAGEM EM SOURE.

Pousada O Canto do Francês
Pousada O Canto do Francês

O que comer na Ilha de Marajó

Algumas coisas você tem que experimentar quando estiver na Ilha de Marajó. Olha a listinha aí:

  • queijo de búfala
  • carne de búfalo
  • tacacá
  • pudim de cupuaçu lá do Restaurante Delícias da Nalva

Os restaurantes lá são bem simples. Os restaurantes que eu mais indico são:

  • Patu-Anu: bem simplão, mas onde você pode almoçar e provar um bife de búfalo.
  • Delícias de Nalva: me pareceu um restaurante famosão por lá. Fui à noite pra jantar e você pode escolher os pratos típicos de lá com peixes. Mas o que você não pode deixar de provar é o pudim de cupuaçu. Sério!

ilha de marajó amanda viaja

O que fazer na Ilha de Marajó

Visitar a Praia de Barra Velha

A mais linda que eu vi no Marajó. Você não sabe se é rio, se é mar… Bom, é mar. Mas a água não é tão salgada, é salubre. A maré sobe todo fim de tarde. E no caminho para a praia, fique atento porque você pode encontrar os pássaros típicos do lugar.

ilha de marajó amanda viaja

ilha de marajó amanda viaja

Dar uma volta de barco pelos igarapés

Passeio delicioso! Eu cheguei no trapiche e negociei lá mesmo com um barqueiro para fazer esse passeio. Paguei R$50 (um barquinho para mim e Pedro) e ele nos levou pelos igarapés de Salvaterra e Soure. Nesse passeio, além dos igarapés, você vê muitos paássaros, ouve o “canto” dos macacos que existem por lá, pode ver boto e em dia de calor, pode ver os búfalos se banhando na beira do rio.

ilha de marajo viajar amanda viaja

Praia de Joanes + ruínas dos Jesuítas

Para ir à praia de Joanes você precisa ir para Salvaterra (se já não estiver hospedado por lá). De lá você pode pegar um táxi até Joanes. O precinho é salgado: R$120 ida e volta. Aconselho você ir logo pela manhã e aproveitar para almoçar nesta praia num restaurante pé na areia que tem por lá. Quando cansar, você volta. É um passeio de quase um dia todo.

As ruínas ficam logo perto da praia. Dá pra ir andando. As ruínas representam onde o Pará começou, mas confesso que esperava mais delas.

ilha de marajó amanda viaja

Andar pelo centrinho de Soure

O centrinho é para ser andado. É simples, porém curioso de ver como as coisas funcionam por lá. Observe os búfalos pelos cantos como se fossem cachorros.

Centrinho
Centrinho

Visitar as fazendas

Antes de chegar lá eu fui com o pensamento de conhecer a Fazenda são Jerônimo famiosinha no pedaço e cenário de um dos programas No Limite. Porém, estudando melhor sobre o assunto eu descobri que a entrada era R$150/pessoa (achei caro) e para ver basicamente o que eu vejo por menos por conta própria: igarapés, praias e búfalos. Eles têm búfalos disponíveis para você andar. Mas eu, particularmente, não curto a ideia de certos tipos de turismo envolvendo animais. Enfim, acho que a Fazenda São Jerônimo deve ser legal, mas não sei se o preço vale a pena.

Praia do Pesqueiro

Eu não fui à praia do Pesqueiro porque era uma praia mais longe e cara e eu não tinha tempo disponível para isso. Portanto, priorizei outros passeios e praias.

Importante saber:

  • Dos principais bancos você vai encontrar somente Banco Bradesco e Banco do Brasil
  • A internet não é das melhoooores, mas dá pra se virar
  • Não dá pra chegar lá achando que vai encontrar uma super estrutura pra turismo. Não tem (e foi isso que eu mais gostei de lá). Tudo é muito simples e no tempo deles. Por exemplo: fui numa noite de sexta-feira jantar no restaurante Delícias da Nalva (talvez o mais “turístico” por lá). O restaurante estava aberto, eu entrei, não encontrei ninguém, chamei por alguém e nada. Aí resolvi apertar a campainha e apareceu o vizinho dizendo que achava que o restaurante não ia funcionar naquele dia porque as meninas tinham ido a um aniversário e não tinham voltado ainda. Simples assim.

RESOLVA SUA VIAGEM AQUI (com descontos!)

SEGURO VIAGEM
todos com desconto
CHIP DE CELULAR
internet ilimitada
HOTÉIS
hostels, pousadas
 PASSAGENS AÉREAS
em até 10x
ALUGUEL DE CARRO
sem IOF, em até 12x
AIRBNB
ganhe R$100

3 Comments

  1. Oi Amanda!
    Feliz por você ter conhecido um pouco do meu Estado e conhecido um pedaço da Ilha do Marajó! Um lugar especial para mim, pois adoro esse pedaço de paraíso. Uma pena não ter conhecido a praia do pesqueiro, pois é maravilhosa e te traz uma paz muito grande!!

    Infelizmente a questão do transporte e informações é verdadeira até para os nativos! Em julho, período de férias por aqui é uma loucura!

    Que bom que gostou de nossa culinária! Espero que volte logo!!

  2. Olá, Amanda!! Não entendi exatamente quanto tempo você ficou em Marajó. Queria aproveitar um dos feriados desse ano para ir conhecer esse lugar fantástico, mas fico com receio de ser pouco tempo para aproveitar.
    Bjks

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*