Meu roteiro na Tailândia (e o que eu faria diferente)

Meu roteiro na Tailândia foi baseado no fato de que eu chegaria no país através de Kuala Lumpur. Portanto começar pelas ilhas foi a maneira mais fácil (mais perto).

Esse foi meu roteiro durante 1 mês na Tailândia.

Phuket (2 dias)

Meu plano era ficar mais tempo em Phuket, para ter uma experiência antropológica com o lugar. Mas a ‘sin city‘ não me agradou e achei que seria besteira perder meu tempo lá com tantas ilhas legais na Tailândia.

Lá fiquei hospedada em Patong e tirei um dia para andar pela cidade e conhecer a praia que não me impressionou em nada. A cidade também não e confesso que para uma primeira impressão, fiquei bastante decepcionada.

No dia seguinte fiz um tour pela James Bond Island (não encontrei outra maneira de conhecê-la que não fosse esse tour. Prepara-se para encontrar uma ilha super lotada onde você vai poder ficar apenas uns 30 minutos só para tirar foto. Não há mais nada para fazer ali. Em seguida levam você para fazer uma kayaking que… não é você quem rema – você tem uma espécie de motorista de kayaki que vai remando no meio de um tráfego de kaiakis, um batendo no outro.

tailandia-amanda-viaja

Railay beach (4 dias)

Railay começou do jeito que eu gosto. Depois de uma hora e meia dentro de viagem num speed boat, você embarca num long tail – a troca é feita ali, no meio do mar simplesmente pulando de um barco para outro. Ao chegar em Railay, você pula do barco de mochila e tudo ainda no mar e vai andando (me lembrou a vez que fui pra Pouso da Cajaíba e era assim também, sem píer).

Lá me hospedei no Railay Phutawan Resort, uma delícia de lugar e que recomendo. Praticamente não tem hostel em Railay, então eu não tinha muita opção de lugar barato para ficar.

O que eu mais gostei em Railay foi uma vilinha fofa que tem por lá. Mais tarde fui descobri que na praia de Ton Sai a vila é mais fofa ainda (dá uma checada nisso antes de reservar). Bom, mas nessa vilinha de Railay ficam os restaurantes que são cabanas fofas, com comida barata e deliciosa. Na vilinha você também encontra alguns lugares para massagem por volta de R$30.

As atrações de Railay são as praias e grandes rochas para o pessoal escalar. Ah, a praia dos pintos – não perca.

Veja aqui o que eu achei de Railay.

tailandia-amanda-viaja

Koh Lanta (5 dias)

Como Koh Lanta estava ficando caro pra mim (R$130/quarto), fugi para Koh Lanta, uma outra ilha de Krabi. eu escolhi Koh Lanta porque já tinha lido em alguns lugares que era um lugar com pouca gente bem mais tranquilo do que as ilhas mais turísticas da Tailândia. As praias de Koh Lanta não impressionam, mas de fato são bem mais tranquilas. Eu escolhi um bangalô na praia de Long Beach e ficava por lá mesmo, bem ao lado das mulheres que faziam massagem na praia. Koh Lanta também tinha um pôr-do-sol de arrasar.

Os turistas da ilha são principalmente mochileiros, mas quase não rola festa.

Uma coisa muito legal pra fazer em Koh Lanta é alugar uma moto (tipo aquelas jogs, vespas) e sair rodando pela ilha. Isso foi o que eu mais gostei de fazer – explorar a ilha de moto, com vento batendo no rosto e espírito aventureiro.

Veja aqui o que eu escrevi sobre Koh Lanta.

tailandia-amanda-viaja

Bangkok (6 dias)

Eu ia passar dez dias em Bangkok, mas comecei a ficar exausta na cidade. Calor, caos, muita gente por todos os cantos e, assim, decidi antecipar minha ida para o norte do país.

Mas veja aqui o que eu fiz enquanto estive em Bangkok.

bangkok-amanda-viaja

Pai (3 dias)

Para chegar em Pai, eu voei de Bangkok para Chiang Mai e lá peguei uma van na rodoviária de Chiang Mai para chegar em Pai. Pai foi uma das melhores surpresas na Tailândia. Era exatamente o que eu precisava depois de Bangkok – um lugar bacana, de paz e com um clima bom. Lá também aluguei uma moto e fiquei explorando o lugar dessa maneira.

Veja aqui como foi minha passagem por Pai.

pai-tailandia-amanda-viaja

Chiang Mai (6 dias)

Voltei para Chiang Mai em função do Festival das Lanternas (Loy Krathong) e a cidade estava lotada. Não havia nem lugar disponível para se hospedar. Quem não fez a reserva com antecedência de hospedagem, não conseguiu.

Eu não tive uma experiência real de Chiang Mai nos primeiros porque a cidade tinha várias atrações por conta do Festival. Mas a atração principal da cidade são os templos e os monges.

tailandia-amanda-viaja

Chiang Rai (1 noite)

Eu fui pra Chiang Rai só de passagem a caminho de Golden Triangle. Como eu li em alguns lugares, Chiang Rai é um lugar melhor para morar do que visitar, tanto que é uma cidade bem residencial. É lá que fica um dos templos mais bonitos da Tailândia que é um templo branco. Infelizmente não tive tempo para visitá-lo.

Eu saí à noite em Chiang Rai. Apesar de ser um lugar pacato, é possível encontrar restaurantezinhos tradicionais bem bacanas e ainda observar o relógio da cidade mudando de cor e tocando uma música todos os dias às 20h. Parece até uma atração da Disney.

tailandia-amanda-viaja

Golden Triangle (3 dias)

Minha passagem a Golden Triangle foi para visitar o Anantara Resort para entender melhor como funcionava a Fundação que cuida dos elefantes. Mas Golden Triangle me pareceu uma cidade mais interessante do que Chiang Rai. Uma das coisas interessantes é que em certo ponto da cidade você consegue enxergar Burma e Laos. São três países num ponto só.

tailandia-amanda-viaja

Chiang Mai

Voltei a Chiang Mai, que estava bem diferente dos dias do festival, bem mais tranquila e de ruas vazias. Como eram meus últimos dias de viagem, já estava bastante esgotada e tirei os dias para descansar antes de voltar à Malásia.

tailandia-amanda-viaja

O que eu faria diferente

Vou colocar abaixo um roteiro para 25 dias baseado nas minhas preferências, no que eu gosto de fazer. Pode ser que ele não funcione para você.

Koh Tao (5 dias)

Koh Tao fica do lado oposto das ilhas que eu fui. E como leva um tempo para atravessar de um lado para outro (e nao quero nem imaginar o trampo que deve ser), ficaria bastante satisfeita passando apenas alguns dias nessa única ilha. Tive boas referências da ilha que é famosa, inclusive, pelos mergulhos que dá pra fazer lá. Sei que mais pra baixo da Tailândia tem Koh Lipe que dizem ser bem bonita também, mas é mais longe. Fico sussa com Koh Tao.

Bangkok (10 dias)

Acrescento mais quatro dias em Bangkok, que era o meu plano inicial na viagem, mas a cidade foi me sufocando e acabei ficando menos. Numa próxima vez, tentaria ser mais paciente porque tem muita coisa para ver e fazer em Bangkok e em seus arredores. E como a cidade é cansativa, o ideal é você ter tempo para fazer com calma.

Pai (4 dias)

Apenas porque Pai foi o meu lugar favorito da Tailândia, maravilhoso para descansar.

Chiang Mai (6 dias)

Em Chiang Mai tem bastante coisa bacana pra ver. E daria para fazer um tour de um dia que leva para Chiang Rai e Golden Triangle – assim não precisaria me hospedar nesses lugares, como fiz.

Veja as fotos e dicas dessa viagem no instagram através de #amandaviajatailandia

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*