Para onde viajar em agosto

Pode parecer que, pelas férias no Brasil terem acabado e os estudantes voltado às aulas, que agosto é um bom mês para viajar. Mas preste atenção! A temporada começa a acabar por aqui, mas fora do país os americanos e europeus seguem de folga até o começo de setembro e, por isso, alguns destinos seguem cheios e caros. No hemisfério norte, inclusive, é o período mais quente do ano, com ondas de calor que podem assustar até os brasileiros acostumados à quentura. Descubra os melhores lugares para onde viajar em agosto!

Para onde viajar em agosto no Brasil

Por aqui, a temporada de férias vai acabando e, principalmente mais para o final do mês, os preços já devem estar mais amigáveis e as cidades turísticas, mais vazias. Uma boa dica é visitar Fernando de Noronha: agosto é conhecido como um dos melhores meses para conhecer a região, que conta com tempo bom para turistas e surfistas que pretendem conhecer a fauna e a flora do patrimônio mundial da Unesco (não deixe de conhecer a Baía do Sancho, Baía dos Porcos e Praia do Leão e nadar com tartarugas e golfinhos).

Piscina natural em Fernando de Noronha
Encontre um hotel em Fernando de Noronha

Faz bastante calor no Maranhão, mas o mês de agosto é ideal para conhecer as duas principais atrações do estado: a chapada das Mesas e os Lençóis Maranhenses, que estão com os lagos cheios e no auge da beleza. Para chegar na chapada, o ideal é ir de avião até Imperatriz e seguir de carro até Carolina, a melhor cidade da região para se hospedar: duas boas opções de hospedagem são a Pousada dos Candeeiros e a Pousada do Lajes.

É possível fazer a maioria dos passeios por conta própria (a dica é alugar um carro em Imperatriz), mas há várias opções de agências de turismo. Não deixe de visitar o Complexo de Pedra Caída, Poço Azul, Cachoeira da Prata, Cachoeira São Romão, e o pôr do sol no Portal da Chapada.

A Rota das Emoções, que liga os lençóis à Jericoacoara, passando pelo Delta do Parnaíba, é interessante nesta época do ano. Chove pouco, e as cidades já estão mais vazias no período pós-férias. O caminho, de cerca de 900 km, pode ser feito com pacote turístico ou com carro convencional — as estradas são asfaltadas.

➡ Encontre um hotel em Jericoacoara!

O sul da Bahia também segue com tempo bom e, agora mais vazio, vale visitar as cidades de Caraíva (queridinha dos famosos, oferece a experiência menos luxuosa da região), Porto Seguro, Trancoso e Praia do Espelho. Outro destaque da região é o Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, um arquipélago com vários peixinhos e corais próprio para a prática de mergulho.

Para quem foge de chuva, o mês também é uma boa época para visitar Brasília, que passa pelo auge do período de seca e conta com céu azul sem nuvens. Não esqueça do filtro solar, chapéu e garrafinha de água para lidar com o clima desértico.

Estátua JK em Brasília, DF
Encontre um hotel em Brasília!

Além dos pontos turísticos clássicos da Esplanada dos Ministérios (Congresso Nacional, Catedral, Museu Nacional, Praça dos Três Poderes, Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal), não deixe de conhecer a 308 sul, a quadra-modelo, para entender um pouco melhor o projeto de Lucio Costa para a capital federal; a Catedral Dom Bosco, com vitrais de tirar o fôlego; o Parque da Cidade, um dos maiores do mundo e onde os brasilienses se reúnem para praticar esportes e aproveitar o dia; e o Lago Paranoá, que vira refúgio para sobreviver ao calor e baixa umidade (mas não se engane, faz frio a noite).

Mas, apesar de dar praia e fazer sol, agosto é mês de inverno no hemisfério sul e a melhor época para visitar Gramado, na serra gaúcha. Além de curtir o friozinho com muita comida e bebida boa, a época recebe o famoso Festival de Cinema de Gramado, um prato cheio para os fãs da sétima arte (e aos turistas bons de festa, já que a cidade recebe vários eventos paralelos à mostra de filmes).

É melhor evitar: nesta época faz frio e chove no litoral norte de São Paulo (a água fica até mais gelada do que o normal), assim como nas praias do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Para onde viajar em julho no exterior

Lugares frios

A temporada de esqui segue firme e forte na América do Sul. Bons destinos para conhecer a neve e, de quebra, praticar o esporte são o Valle Nevado, Pucón e Portillo, no Chile, Bariloche e Ushuaia, na Argentina. Do outro lado do mundo, também é possível esquiar nas montanhas da Nova Zelândia: apesar de o país ser conhecido pelas praias paradisíacas, há também montanhas altíssimas. Lake Wanaka é a região mais famosa para aproveitar a neve e o frio por lá.

É melhor evitar: faz muito frio na Patagônia, e alguns passeios são, inclusive, cancelados por conta do tempo ruim. O Uruguai também não é dos destinos mais agradáveis ao viajante nesta época, já que as temperaturas baixas e vento forte no balneário de Punta del Este podem estragar a estadia.

O tempo segue bom para fazer safáris na África: África do Sul (menos Cape Town e a Garden Route, onde chove), Zimbábue, Botsuana, Ruanda, Uganda, Quênia, Zâmbia e Tanzânia são os países com passeios mais tradicionais para avistar os grandes mamíferos típicos da savana africana.

Lugares quentes

Em altíssima temporada, com preços mais salgados do que o normal e muita gente na rua, o mês de agosto é o auge do verão no hemisfério norte. Faz muito calor nos Estados Unidos, e passear por Miami, Disney e Nova York pode ser um pouco cansativo.

Na América do Norte, uma boa opção é conhecer o Canadá, que tem belíssimas paisagens naturais como as Cataratas do Niágara, e o Waterton Lakes National Park, em Alberta (considerado uma Reserva da Biosfera e Patrimônio Mundial da Unesco pela abundante vida animal, onde é possível observar ursos, lobos e corujas selvagens), por exemplo. Também patrimônio da Unesco, o Banff National Park possui lagos e montanhas incomparáveis e oferece opções de esportes como trekking, escalada, ciclismo, caiaque e esqui em algumas épocas.

Parque Nacional de Banff, no Canadá
Encontre um hotel em Banff!

Mas é na Europa que o clima está, de fato, fervendo. Aproveitando as férias, americanos e europeus lotam as praias do continente, tornando a estadia um tanto mais cara e cansativa. Uma sugestão para fugir das multidões e dos preços é conhecer o leste europeu, que possui clima mais ameno e preços convidativos. As capitais mais importantes da região são Praga, Budapeste e Viena. A viagem é especial para os turistas que gostam de história: a área foi disputada durante a II Guerra Mundial e guarda muitas lembranças da época do comunismo.

Menos quente do que o sul da França, Portugal e Espanha, os países nórdicos também oferecem um passeio agradável nesta época. Destaque para a Dinamarca, um dos países mais desenvolvidos do mundo, que oferece atrações imperdíveis como o Tivoli Gardens, canal de Nyhavn, Assistens Cemitery (é estranho, mas os locais usam o cemitério como parque e é comum encontrar pessoas fazendo piquenique, tomando sol e meditando por lá), a Rua Jægersborggade (o nome é difícil, mas é uma das vias mais descoladas da cidade), além de torres, castelos e palácios em Copenhagen, a capital.

➡ Encontre seu hotel em Copenhagen!

Não é uma boa época para visitar o Caribe, que vive o começo da época de furacões e, por isso, conta com muita chuva. O ideal é procurar os países fora da rota, como Barbados, Aruba e Curaçao, onde o clima bom praticamente o ano inteiro. O destaque fica com Barbados: o país da cantora Rihanna comemora, em agosto, o festival Crop Over, que nasceu há quase 200 anos para celebrar o fim da colheita de cana de açúcar. É praticamente um carnaval: os foliões se reúnem atrás de blocos e trios elétricos vestidos com muitas plumas e paetês e desfilam pelas ruas da ilha com muita animação.

É melhor evitar: é época de monções no sudeste asiático, então chove e venta muito, dificultando (e muito) a vida do viajante. Se puder, espere outra época.