A Rota dos Vinhos na África do Sul

Pra quem pensa que a África do Sul só tem safári… não, não, não. O país é mais completo do que você imagina! Hoje vamos descobrir as vinícolas da África do Sul.

O país faz parte do chamado Novo Mundo dos Vinhos e é o sétimo produtor mundial de vinhos, muitos deles premiados internacionalmente. Tudo começou com a chegada dos colonizadores holandeses no século 17— o primeiro rótulo da região data de 1659. Ou seja, a África do Sul produz vinhos há mais de 300 anos! Apesar disso, os vinhos só começaram a ser exportados depois do fim do Apartheid, em 1994.

A Rota dos Vinhos na África do Sul

A Rota dos Vinhos foi criada pela Distell, a maior empresa sul-africana de bebidas (inclusive a Amarula é deles), com o objetivo de definir um itinerário pelas mais importantes vinícolas da África do Sul. Eu visitei todas em dois dias completos, mas você pode adaptar o roteiro de acordo com o seu tempo disponível. Nesse trajeto, percorremos as estradinhas entre três cidades vizinhas principais:

  • Paarl
  • Stellenbosch
  • Franschhoek

Durante a visita nas vinícolas, além da degustação, você pode conhecer todo o sistema de produção. E muitas delas têm ótimos restaurantes para almoçar!

Vinícolas em Cape Town

Se você jogar essas cidades no Google Maps, vão ver que elas tão bem pertinho de Cape Town, a menos de 1h de carro. Por isso, não é difícil visitá-las a partir dessa cidade. Dentro dos limites urbanos também tem algumas vinícolas, como a Groot Constantia (a mais antiga vinícola da África do Sul), a Durbanville Hills e a Cape Point Vineyards, mas eu acho que vale a pena pegar a estrada! Acredite, o visual compensa.

 

As melhores vinícolas na África do Sul

Paarl

Na região de Paarl está localizada a vinícola Nederburg – a mais premiada da África do Sul (e maravilhosa!). Por lá, os visitantes podem conhecer o museu da marca, os vinhedos e as montanhas Drakenstein. Além disso, é possível visitar a casa principal, Manor House, construída no centro da fazenda em 1800, decorada com móveis da época e de estilo holandês.

Hoje, é monumento nacional do país e também abriga o famoso restaurante Red Table, dirigido pelo chef Edmore Ruzoza. Outra atração são as degustações com diferentes tipos de vinhos e harmonização com queijos. Essa harmonização com queijos quando eu fiz custava em torno de R$20. É muito barato pela experiência toda que a vinícola proporciona.

vinicolas vinhos africa do sul amanda viaja

Stellenbosch

Na região de Stellenbosch está a Bergkelder/Fleur Du Cap, a primeira adega subterrânea construída no hemisfério sul. O local foi projetado na época para manter o vinho a uma temperatura ideal, mesmo no forte calor africano. O destaque desta adega fica por conta da harmonização de vinhos com diferentes tipos de sais.

Criada pelo chef Craig Cormack, um apaixonado colecionador de sais, essa harmonização única une pratos deliciosos com vinhos da premiada linha Fleur du Cap Unfiltered – tipo de vinho não filtrado que leva ao nosso consumidor o gosto da uva pura e natural, ótima acidez e oferece um final muito longo na degustação. A adega também oferece degustações guiadas e um tour pela propriedade. Outra coisa legal aqui é que ela tem um mercado com vários tipos de vinhos e bebidas pra você poder comprar (poucas têm isso).

vinícolas vinhos africa do sul amanda viaja

Durbanville Hills

Por fim, a Rota dos Vinhos finaliza na vinícola Durbanville Hills, a apenas 20 minutos da Cidade do Cabo e com vista única para Table Mountain e Table Bay. Lá você também encontra um restaurante bem gostoso para almoçar. Um dos destaques da Durbanville Hills é o o Wine Safari que eles fazem na Table Mountain. Eu fiz e posso dizer que é uma experiência única em Cape Town.

Franchhoek

Na região de Franchhoek os turistas podem conhecer uma das maiores vinícolas do país, com 974 hectares e diversas variedades de vinhos tintos, brancos e espumantes, na Plaisir de Merle. Na vinícola os turistas têm duas opções de degustação — a simples e a vertical —, na qual fazem um tour e podem explorar os vinhos de acordo com a safra, descobrindo nuances e notas que são influenciadas pelo tempo de maturação. Para complementar essa experiência, também são oferecidos à parte diversos tipos de queijos para harmonizar.

vinicolas africa do sul amanda viaja

Outro destino certeiro da rota é a vinícola The House Of JC Le Roux – a principal fabricante de espumantes do país, que é a nova moda na África do Sul principalmente entre jovens e mulheres. Além da degustação, outro ponto que vale a visita é o elegante restaurante Le Venue. Com um ambiente agradável e experiência única de sabor, fica situado na casa de J.C. Le Roux.

vinicolas vinhos africa do sul amanda viaja

Perto dali, fica a vinícola Neethlingshof. Para conhecê-la é preciso passar por uma avenida com quilômetros de extensão de pinheiros, que leva até a sede do local. Este caminho é um marco para a história do lugar e motivo central dos rótulos dos vinhos.

A vinícola oferece diversas opções de harmonização, entre elas a “Flash Food, Slow Wine Pairing”, que inclui cinco minipratos que combinam perfeitamente com as opções de vinhos oferecidos. Além das degustações, a vinícola dispõe de um tour pela produção. E para um momento de descontração, acontece o Wednesday Live Music, todas as quartas-feiras, no final da tarde. Um ótimo momento para apreciar uma das mais belas vistas da África do Sul.

Além disso, a vinícola conta com um elegante restaurante estilo colonial, chamado Lord Neethling, localizado dentro da mansão holandesa muito bem preservada, que remonta mais de 200 anos de história da propriedade.

vinicolas vinhos africa do sul amanda viaja

Importante: para visitar todas essas vinícolas você não precisa fazer reserva nenhuma e nem pagar para entrar. É só aparecer.

Vale a pena se hospedar na região vinícola?

Quem realmente gosta de vinho pode cogitar se hospedar na região vinícola para poder melhor explorá-la, em vez de apenas fazer passeios bate-volta a partir de Cape Town. É uma boa ideia para quem quer desacelerar um pouquinho e aproveitar melhor os passeios pelas vinícolas.

São duas bases principais para ficar na região, onde há mais hotéis, pousadas e guesthouses:

Vale a pena fazer a Rota dos Vinhos por conta?

Fazer um itinerário pela Rota dos Vinhos por conta própria pode ser vantajoso para definir o seu próprio ritmo de viagem e para priorizar as vinícolas que mais te interessam. Porém, como o mais legal desses passeios é fazer as degustações e experimentar os vinhos da África do Sul, não poder beber para assumir o volante pode comprometer um pouco a experiência. Além disso, é importante lembrar que na África do Sul, país colonizado pelo Império Britânico, os motoristas tem que encarar a mão inglesa!

Passeios pelas vinícolas na África do Sul

Eu pessoalmente acho que vale bastante a pena contratar um passeio pelas vinícolas na África do Sul a partir de Cape Town. A oferta turística é bem completa, com várias opções diferentes de tours. Eu selecionei alguns que considero interessantes:

Você pode consultar mais opções de tours aqui.

Veja o vídeo sobre a rota dos vinhos. E se inscreva no canal para ver muito mais: www.youtube.com/amandaviaja

 

Este post foi produzido em parceria com a Distell, maior produtora de vinhos e destilados da África do Sul. 

Veja outros posts sobre a África do Sul

Os melhores vinhos da África do Sul
Safari no Kruger: 11 lodges para se hospedar
Quanto custa fazer um safári na África do Sul
Safári no Kruger África do sul: tudo o que você precisa saber
África do Sul: meu roteiro e uma sugestão de roteiro de 15 dias
O que fazer em Cape Town: guia e roteiro com 20 atrações
O que fazer em Joanesburgo na África do Sul: 7 dicas
Garden Route na África do Sul: um guia completo
Como é viajar sozinha para África do Sul
Bungee Jump na África do Sul: o maior de ponte do mundo
O que eu achei da África do Sul: é melhor do que eu sonhava
Blue Train: como é viajar de trem pela África do Sul

 

RESOLVA SUA VIAGEM AQUI (com descontos!)

SEGURO VIAGEM
todos com desconto
CHIP DE CELULAR
internet ilimitada
HOTÉIS
hostels, pousadas
AIRBNB
ganhe R$179