O que fazer em Olinda: dicas para o seu roteiro

Vizinha de Recife, Olinda merece pelo menos um dia inteiro das suas férias em Pernambuco. Em meio às ladeiras e ruazinhas estreitas, a cidade revela tesouros arquitetônicos e esbanja charme. Confira as principais atrações e nossas dicas para você saber o que fazer em Olinda!

DICA IMPORTANTE: para passear em Olinda, use calçados confortáveis, essenciais para encarar as subidas e descidas da cidade 🙂

Como chegar em Olinda

O aeroporto mais próximo fica em Recife. A partir da capital pernambucana, a melhor maneira de chegar até Olinda é de carro. Do terminal aéreo, o trajeto dura mais ou menos 20 minutos. O ideal é ir de táxi (entre R$55 e R$70) ou Uber (média de R$45).

Saindo do Marco Zero, o valor é um pouco mais baixo. O Uber sai em média  uns R$20. Carro alugado não compensa em nenhum dos casos porque é difícil estacionar por lá.

Como se locomover em Olinda

Olinda é uma cidade pequena, daquelas que dá para conhecer praticamente toda só caminhando. É a pé que você vai poder apreciar as casinhas típicas de interior com alpendre e fachadas coloridas no meio do sobe e desce das vias locais, antes ou depois de visitar mais uma igreja.

Onde ficar em Olinda

Olinda tem algumas estrelas no quesito opções de hospedagem. Para quem quer bom custo benefício, o Hostel 13 é uma boa escolha. Ele fica no coração região central, tem quartos compartilhados e suítes privativas, além de terraço com piscina. Também no centro, o Cama e Café Olinda tem preços atrativos combinados a um bom atendimento.

Já quem quer investir um pouco mais em conforto costuma curtir o Pousada dos Quatro Contos, instalado numa mansão do século 19.  Outros locais bacanas para colocar na lista de opções são o Hotel 7 Colinas e a Pousada São Francisco.

Vista panorâmica de Olinda com Recife ao fundo.

O que fazer em Olinda

Com sapatos confortáveis, protetor solar e um garrafa de água na mochila, prepara-se para conhecer os principais pontos turísticos de Olinda.

Entre as ladeiras e vias com chão de pedra, há igrejas e outros edifícios históricos relativamente bem conservados. Assim, a caminhada vale muito a pena e conta com várias paradas estratégicas, as quais listamos a seguir.

Igrejas de Olinda

Igreja do Carmo
Construída em 1580 para ser a Capela de Santo Antônio e São Gonçalo, passou a ficar sob a tutela das carmelitas em 1851. Assim, ganhou novas instalações, sendo elas as mais antigas da Ordem dos Carmelita das Américas.

Atenção para as cadeiras do coral, os quadros a óleo sobre madeira que adornam o local e, por fim, para o altar-mor. Ele possui três nichos: o mor, com a imagem da padroeira em estilo barroco, e as laterais, dedicadas aos santos fundadores da Ordem dos Carmelitas (Santo Elias e Santo Eliseu). Endereço: Praça do Carmo, s/n

Fachada da Igreja do Carmo em Olinda, com praia ao fundo.

Igreja de São Salvador do Mundo (Igreja da Sé)
Construída por volta dos anos 1500, inicialmente para ser pequena capela, a igreja passou por vários mudanças ao longos dos séculos. Um dos momentos mais marcantes foi durante a invasão holandesa e o incêndio causado por eles que deixou a cidade – e a construção – bastante danificada.

Assim, no século 17 –  durante a Restauração Pernambucana de 1669 – foi reconstruída. E o status de catedral chegou anos depois, em 1676, quando Olinda passava de vila para cidade. Atualmente, é uma das atrações mais importantes de Olinda, especialmente por conta das capelas laterais em estilo barroco, das colunas de pedra, dos quadros pintados a óleo e das talhas em madeira do interior. Endereço: Alto da Sé, s/n

Igreja Nossa Senhora do Monte 
Original de 1535, a Igreja de Nossa Senhora do Monte é a mais antiga edificação religiosa de Olinda. É bem simples, mas o interior traz detalhes interessantes como o altar-mor que imita um monte de madeira com a imagem de Nossa Senhora. Fica um pouco afastada do centro da vila. Endereço: Praça de Nossa Senhora do Monte, s/n.

Outros pontos turísticos em Olinda

Biblioteca Pública de Olinda
A simpática Biblioteca Pública de Olinda funciona em uma das construções mais antigas do município. A casa de fachada rosa fica na Avenida da Liberdade. Endereço: Av. Liberdade, s/n – Carmo.

Fachada da Biblioteca Pública de Olinda

Museu de Arte Contemporânea de Olinda
De 1765, o edifício originalmente foi construído para ser a Cadeia Eclesiástica onde ficavam alguns dos presos da inquisição. Junto com a Capela de São Pedro Advíncula, logo em frente, o local foi restaurado e tombado como patrimônio histórico. 

Hoje, abriga o Museu de Arte Contemporânea de Olinda, onde nomes como Portinari, Burle Max, Francisco Brennand figuram entre os autores das mais de quatro mil obras do acervo. Endereço: Rua 13 de Maio, s/n

Palácio dos Governadores (Prefeitura Municipal de Olinda)
Desde sua construção, no século 17, o prédio da atual sede da Prefeitura Municipal de Olinda teve várias funções e passou por algumas reformas significativas.

Seus traços neoclássicos, por exemplo, vieram de uma reformulação da fachada no final do século 19. O local também é conhecido como antigo Paço dos Governadores Gerais do Brasil. Endereço: Rua de São Bento 123, Varadouro

Fachada do Palácio dos Governadores (Prefeitura Municipal de Olinda)

Mosteiro de São Bento 
Segunda instalação beneditina do Brasil, o Mosteiro de São Bento de Olinda começou a ser construído em 1586. Assim como outras atrações da cidade, sofreu com o incêndio que aconteceu durante a invasão dos holandeses, em 1631, e precisou ser reconstruído.

Na ocasião, ganhou detalhes barrocos em vários pontos, como no altar-mor da igreja. Endereço: Rua de São Bento, s/n – Varadouro.

Museu do Mamulengo
O local reúne mais de mil mamulengos, aquele fantoche típico do nordeste brasileiro. São peças que representam figuras populares em situações cotidianas rurais ou urbanas.

O acervo está dividido em alas de temas específicos como Encantados (foco no mundo do sobrenatural) e Mestres (com bonecos históricos dos maiores bonequeiros do Brasil), além de preservar e expor peças do século 18. Endereço: Rua de São Bento, 344.

Onde comer em Olinda

Faltou tempo para conhecer mais restaurantes, por isso vamos focar nos melhores. Com frutos do mar frescos e bem temperados, o Beijupirá é figurinha carimbada nas listas de onde comer em Olinda. 

Já o Oficina do Sabor é um pouco mais caro, mas é reconhecido pelas receitas típicas da culinária nordestina: dentre eles, as várias opções de jerimum (abóbora) recheado e o prato de purê de macaxeira com carne de sol e manteiga de garrafa.

Vista de Olinda em Pernambuco

O que fazer em Olinda em 3 dias

Um dia é suficiente para conhecer Olinda. Mas com mais tempo, vale incluir as igrejas menos famosas, mas igualmente interessantes: Igreja de Nossa Senhora da Graça e Igreja de Nossa Senhora da Conceição (o complexo inclui ainda um convento). Além de dar check em todos os itens da lista que fizemos no tópico o que fazer em Olinda.

Vale a pena conhecer Olinda?

Os desavisados que chegam em Recife costumam fazer essa pergunta, mas como você está neste post, acho que já sabe a resposta: vale muito a pena, sim.

Apesar da capital pernambucana ser a protagonista no turismo pela região, há muito o que fazer em Olinda, destino com um charme muito particular.

Carnaval de Olinda, com destaque para um guarda-chuva de frevo e multidão ao fundo, fora de foco.

RESOLVA SUA VIAGEM AQUI (com descontos!)

SEGURO VIAGEM
todos com desconto
CHIP DE CELULAR
internet ilimitada
HOTÉIS
hostels, pousadas
AIRBNB
ganhe R$179