Como enfrentar a neve ou Como eu quase morri de depressão no inverno

Como enfrentar a neve ou Como eu quase morri de depressão no inverno

Morei quatro anos em Minneapolis, no estado de Minnesota – mais conhecido como Minnesnowta, o segundo estado mais frio dos EUA. Na maior parte do ano faz frio. Pra você ter uma ideia, a neve cai no comecinho de novembro e fica… Você só vai ver o chão novamente em março, abril…

A adaptação foi difícil. Tive que começar a achar normal os músculos da face congelarem a ponto de não conseguir falar. Ou então, falar como se estivesse bêbada.

Mas aprendi algumas coisas vivendo tanto tempo em um lugar com o clima tão diferente do Brasil:

Põe roupa. Tira roupa. Você coloca aquele monte de roupas de inverno e quando chega no carro precisa tirar tudo. Aí chega ao seu destino e coloca toda a roupa de novo pra poder sair andando na rua. Entra no lugar fechado e tira tudo de novo porque o aquecedor está ligado. A vida é assim…

Luvas e gorrinhos não são artigos fashion. Não é frescurite e nem pra ficar bonitinho. Você tem que usar por uma questão de sobrevivência. O frio rigoroso pode até prejudicar sua audição. E sem as luvas você simplesmente não consegue mexer seus dedos.

Olha a neve caindo e congelando no telhado de casa!
Olha a neve caindo e congelando no telhado de casa!

Você deve aquecer seu carro antes de sair dirigindo. Do contrário, pode estragar o motor. Também é normal não puxar o freio de mão. Se congelar você não consegue “despuxar” nunca! E em carros velhos, não se trava a porta!

Carros 4×4 são super bem-vindos. Eu tinha um carro normal (não sei a tração de um normal). Até que um dia meu carro passou por cima dos restos de neve no asfalto e rodopiou na expressway  mais movimentada de Minneapolis, em horário de pico. Depois dessa comprei um 4×4.

A neve suja tudo o que você tem na vida. A dinâmica do inverno é essa: fica frio e a neve cai, aí esquenta um pouquinho e a neve derrete. E quando a neve derrete fica uma meleca. Suja o carpete do carro, o carpete de casa, sua bota nova…

Esportes de neve são legais se você conseguir sair na rua. Eu não conseguia. É diferente você viajar para esquiar e viver no lugar de esqui. Todo dia vinte graus negativos desanima. Mas muita gente aproveita. E realmente existem muitos esportes de neve.

A neve faz parte de qualquer coisa que você fizer. Réveillon com neve. Passear com o cachorro na neve. Até o  primeiro encontro com meu namorado gringo foi para patinar no gelo! Ele também tinha jogo de hockey todo domingo, sagrado com os amigos.

Você pode sofrer de SAD (Seasonal Affective Disorder). No inverno era assim: eu dormia muito, comia muito e sorria pouco. Se eu tinha 10 minutos de intervalo no trabalho, eu deitava a cabeça na mesa e dormia facilmente. Até que um dia um americano me contou que eu sofria de SAD. Um distúrbio causado pela falta de luz. Por isso muitas pessoas vão para clínicas de estética “tomar banho de luz”. Legal, né?

Você vai valorizar o sol como nunca. Nos quatro meses de calor do ano, as pessoas saíam desesperadas para as ruas. Poderia ser para correr, ir para o parque, andar de roller (aliás, o roller foi inventado em Minnesota para substituir o patins de hockey no verão)… Todos querem aproveitar o verão como se fosse acabar amanhã. E essa felicidade em Minnesota passa rápido mesmo.

patinandonogeloNão adianta reclamar. Os nativos vão achar tudo normal. Eu reclamava todos os dias: “é impossível ser feliz num lugar tão frio”, “não é normal nevar tanto assim”. Enquanto isso, os nativos apenas olhavam pra mim com um ar blasé, do tipo “coitada”. Eles são felizes assim e cresceram sob essa condições. Não sabem como é bom passar um verão no Rio de Janeiro…

Amanhã hoje eu vou contar aqui sobre o dia em que encalhei na neve…

 

 

2 Comments

  1. Oi Amanda…Só descobrir seu blog agora e estou amando suas histórias.

    Parabéns!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*